Concreto reforçado com fibras de PVA aplicado a pavimentos aeroportuários: propriedades mecânicas e dimensionamento


Aluno
Felipe Rodrigues de Souza

Curso
Mestrado

Área
Estruturas

Linha de pesquisa
Materiais não Convencionais

Data de defesa
09/08/2021

Orientadores
Flávio de Andrade Silva

Graduação
Universidade Federal de Juiz de Fora

Banca julgadora
Flávio de Andrade Silva; Daniel Carlos Taissum Cardoso; Luiz Carlos Wrobel; Dimas Alan Strauss Rambo - Universidade São Judas Tadeu

Palavras-chave

<p>Concreto reforçado com fibras; Lajes sobre apoio elástico; álcool polivinílico; Fiber reinforced concrete; slabs on ground; polyvinyl alcohol</p>


Resumo
<p>O presente trabalho tem como foco a caracterização do concreto reforçado com fibras de álcool polivinílico (CRFPVA) com diferentes frações volumétricas para utilização como pavimento aeroportuário. Para isso foram determinados os parâmetros como resistência residual e tenacidade dos compósitos através de ensaios de flexão em três pontos definidos pela norma EN 14651 para serem aplicados no dimensionamento de lajes apoiadas em base elástica, proposto pela TR-34 e comparar estes resultados ao dimensionamento e a ensaios do pavimento de concreto de cimento Portland convencional regulamentado pela Federal Aviation Administration (FAA), através da circular AC150/5320-6F. Também foram utilizadas fibras de polipropileno, que são amplamente empregadas na construção de pisos industriais, para comparação com os CRFPVA. Os CRF apresentaram comportamento deflection softening e, acréscimo de tensões pós fissuração e tenacidade com o aumento da fração volumétrica de fibras. Ensaios de flexão cíclicos foram realizados mostrando que para carregamentos de até 70% da carga de primeira fissura, para corpos de prova não fissurados ou, 70% da carga em CMOD1 para corpos de prova pré-fissurados, combinados com 100 mil ciclos, há pouco ou nenhum dano aparente para os CRF. Finalmente, os ensaios estruturais em lajes sobre apoio elástico apresentaram com a adição de fibras, ganhos de até 2,8 vezes no valor da carga de primeira fissura comparado ao concreto convencional, além de redução das deformações e da fissuração das lajes, mostrando o CRF como uma alternativa para a aplicação em pavimentos aeroportuários.</p>


Fonte de recurso: CAPES; PUC-Rio


Anexos

Texto completo
6.97 MB